domingo, 4 de dezembro de 2016

A Cartilha do Centro de São Paulo

             
       A cartilha do Centro da Cidade de São Paulo, foi pensada, discutida a partir da pesquisa e oitiva da sociedade civil sendo moradores, comerciantes, síndicos,  ativistas, associações de moradores de classe A,B,C,D e E provenientes dos 14 bairros, sendo agentes públicos federais, estaduais e municipais. 






A diagnose é trabalho de Annabella Andrade, militante, ativista, ciclista, publicitária, pedagoga, gestora ambiental, trabalhadora e moradora de bairro da área central.




A população que foi ouvida é integrante das associações de moradores, conselhos comunitários, coletivos, moradores, comerciantes, trabalhadores e o trabalho de pesquisa é coordenado pela Profa. Doutora Margareth Viscomi da Fundação Escola de Sociologia de São Paulo. 



Tabulamos os maiores anseios e pedidos coletivos, que são extraídos durante as reuniões com a população, comerciantes e atores sociais.

A cartilha apresenta a necessidade das Operações de zeladorias integradas, que poderão ser executadas na área do Centro de São Paulo, ou em qualquer bairro da cidade, sempre respeitando as legislações, a gestão participativa e as características socioculturais de cada espaço comunitário!





O anseio das cidadãs e cidadãos, que será levada a todas as bancadas e ao Prefeito e a Vereadores da Cidade de São Paulo. 

Maiores reclamações dos munícipes da área Central
A gestão passada recebeu número recorde de reclamações por falta de limpeza de vias e de jardinagem na cidade no ultimo trimestre deste ano.
Segundo balanço da Ouvidoria Geral do Município, os dois itens, os mais lembrados pelos cidadãos nos canais de atendimento, foram responsáveis por 773 protocolos – 16,6% do total.
É o maior registro para o período desde o início da série histórica, em 2005, quando houve 353 reclamações sobre os dois temas.
No total, o canal de reclamações recebeu 18.525 chamados nos três primeiros meses do ano, dos quais 4.626 viraram protocolo, ou seja, foram considerados procedentes e receberam atendimento. A região da Sé, no centro, foi a mais lembrada, com 157 denúncias. Os protocolos registram também, em menor número, reclamações sobre falta de atendimento nos serviços públicos, trânsito e iluminação pública, entre outros.

 Praça Julio Mesquita - Republica

Quais os anseios da população?  

Espaços públicos curados, limpos e organizados?

Bairro do Higienópolis


Como desenvolver o olhar coletivo da população?
Ações Afirmativas para que a cidade seja acolhedora, segura, que as politicas públicas funcionem.
Respeitando as Agendas Internacionais, Nacionais e Municipais respeitando os direitos da pessoa e tantas leis de todas as instancia.
Agenda 21 – 2030- redução de emissão de gases- redução dos resíduos - Cidade Limpa - Política Nacional de resíduos Sólidos-

            Poluição Sonora, atmosférica e do meio ambiente

O numero de reclamações no COPON-PM, de perturbação de sossego, de automóveis com som ensurdecedor são as maiores preocupações dos moradores, que em algumas regiões não conseguem dormir. Temos   que encontrar uma forma mais justa e de conciliação e celeridade para resolver estas questões :o PSIU tem que funcionar.

            Grande Gerador de Resíduos 

O que são Grandes Geradores de Resíduos?
De acordo com o Decreto 48.251/07, considera-se como Grande Gerador de Resíduos Sólidos:



I-             os proprietários, possuidores ou titulares de estabelecimentos públicos, institucionais, de prestação de serviços, comerciais e industriais, entre outros, geradores de resíduos sólidos caracterizados como resíduos da Classe 2, pela NBR 10.004, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), em volume superior a 200 (duzentos) litros diários; 



II - os proprietários, possuidores ou titulares de estabelecimentos públicos, institucionais, de prestação de serviços, comerciais e industriais, dentre outros, geradores de resíduos sólidos inertes, tais como entulho, terra e materiais de construção, com massa superior a 50 (cinquenta) quilogramas diários, considerada a média mensal de geração, sujeitos à obtenção de alvará de aprovação e/ou execução de edificação, reforma ou demolição; 

III - os condomínios de edifícios não residenciais ou de uso misto, cuja soma dos resíduos sólidos, caracterizados como resíduos Classe 2, pela NBR 10.004, da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), gerados pelas unidades autônomas que os compõem, seja em volume médio diário igual ou superior a 1.000 (mil) litros.


Aplicação da legislação dos grandes geradores - em todos os estabelecimentos de alimentos e bebidas.

Curso de Boas Práticas de Manipulação de Alimentos


O Curso é para quem? Quem pode participar do curso?

 O curso é direcionado ao proprietário ou pessoa por ele designada, de micro-empresas - ME,   empresas de pequeno porte – EPP, microempreendedor individual – MEI e comércio ambulante de alimentos.


Qual o conteúdo do curso?

O curso capacita os participantes nas boas praticas de manipulação, ou seja, nos requisitos de organização e higiene, necessário para garantir a qualidade e segurança dos alimentos.

Prepara os participantes para elaborar o manual de boas práticas e os procedimentos operacionais padronizados.


Quem são os professores?

O curso é ministrado por monitores das Faculdades/ Universidades ou por técnicos das Supervisões de Vigilância em Saúde – SUVIS de cada região, especialmente preparados para capacitar os alunos.


O curso é pago?

O curso é inteiramente gratuito.


Qual carga horária?

A carga horária do curso é de 8 horas, ministradas em um dia inteiro ou em dois períodos de 4 horas, isto é, dois dias.


Onde fazer a inscrição?

A inscrição é realizada em uma das 26 Supervisões de Vigilância em Saúde – SUVIS existentes no município, na SUVIS da região mais próxima do estabelecimento requerente, pessoalmente ou por telefone, tendo em mãos, os seguintes documentos:



Agentes ambientais da Inova visitarão periodicamente Visita preventiva, analise e recadastramento de todos os grandes geradores, sobretudo os que descartam os resíduos costumeiramente fora do horário.

Área de Segurança Escolar – ao redor das escolas 
Lei 14.492/07 Área Escolar - São Paulo

LEI DA ÁREA ESCOLAR DE SEGURANÇA

O projeto de autoria do vereador Eliseu Gabriel (PSB) foi aprovado e entrou em vigor em 01/08/2007.

O Projeto de Lei do vereador Eliseu Gabriel, que cria a área escolar de segurança num raio de 100 metros ao redor das escolas, tornou-se a Lei 14.492/07 conforme publicado no Diário Oficial de 1º de agosto de 2007.
A Lei, sancionada sem vetos, tem como objetivo a segurança de alunos, pais e professores para que se possa levar adiante a finalidade da educação em sua plenitude.
Além da forte interação da comunidade local e do poder público está prevista uma série de ações num raio de 100 metros de cada portão das escolas.
Por essa nova Lei a Prefeitura, com o apoio da comunidade e da iniciativa privada, viabilizará a adequação dos espaços próximos às escolas, que serão indicados por placas, com ações como iluminação pública eficiente, pavimentação de ruas e manutenção de calçadas, poda de árvores e limpeza de terrenos, controle de terrenos baldios, controle de construções ou prédios abandonados e retirada de entulhos.

São Paulo Antiga
Administração Regional Especifica para o Centro Histórico - manutenção dos postes históricos e dos monumentos - parceria com as universidades (turismo e outras cadeiras) 
Adoção das Praças e jardins - conservação das calçadas pelos condomínios comerciais.
     

Adoção de praças e fiscalização pelos munícipes – Praça Rooselvet

Adoção das Praças com mão de obra dos refugiados, do semiaberto das penitenciarias e com os moradores do Arsenal da Esperança.

Parceria Público Privadas
Assentos nas Praças - manutenção e colocação de mobiliário urbano com madeira plástica

Programa Adote uma Arvore
O Projeto Adote uma Árvore visa promover a doação de mudas de árvores aos participantes das atividades educativas, tornando-os agentes ativos no processo de arborização urbana e, assim, futuramente, aumentar o número e a qualidade dos espaços verdes na cidade de São Paulo.

















sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Natal das Crianças da área Central


Dezembro é Natal!!

A Rede Social em parceria com a Comunidade Brasil realizará no próximo dia  10 de dezembro, sábado á partir das 13h00, o Natal das crianças carentes,
que moram nos bairros de Santa Cecilia, da Luz e Barra Funda.

Agradecemos ao pessoal da Base Comunitária da Policia Militar, que está apoiando o evento.

Agradecemos a gentil doação de produtos do Açougue Qualibeef da Barão de Limeira,
 que doou 24 quilos de salsichas.

Agradecemos ao Sr. Ivan do Hortifruti dos Campos Elísios, que doou um carrinho cheio de frutas para as saladas de frutas.
Agradecemos ao Jaques e a Amanda da Sapataria da Albuquerque Lins, que serão voluntários 
no dia do evento.
Agradecemos ao Vitor da Cia Bike da Rua Albuquerque Lins que colaborou com R$50,00!

Precisamos de voluntários e voluntárias para ajudar na confecção dos lanches, das saladas de frutas, 
para trabalhar no dia 10 de dezembro-sábado, no período da manha a partir das 9h00 e a tarde a partir das 13h00 para brincar com as crianças.

Precisamos da doação de 1000 pães tipo francês, para fazer os cachorros quentes 
para as 800 crianças de baixa renda que vão participar do evento !

Unidos somos fortes 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...